sábado, 20 de junho de 2009

Os caminhos

1. Caminho pela rua.
Há um profundo buraco no passeio E caio lá dentro.
Estou perdido… não sei que fazer.
A culpa não é minha, Preciso de uma eternidade para descobrir a saída.
2. Caminho pela mesma rua.
E lá está um grande buraco no passeio.
Finjo que não o vejo. Caio outra vez.
Custa-me a acreditar que esteja no mesmo lugar, Mas a culpa não é minha.
Ainda preciso de muito tempo para sair.
3. Caminho pela mesma rua.
Há um profundo buraco no passeio.
Vejo que lá está.
Mas caio… Já é um hábito Tenho os olhos abertos,
Sei onde estou Mas a culpa é minha
E saio imediatamente.
4. Caminho pela mesma rua.
Há um grande buraco no passeio,
E passo ao lado.
5. Caminho por outra rua.

6 comentários:

Isa ;) disse...

Namasté!!
O segredo não está em caminhar por outra rua... mas sim a aprender a "tapar" o que encontras no caminho ;)

Bjos

carlluz disse...

Olá cara amiga :))))
Essa coisa de tapar buracos no aspecto a que te referes não me seduz particularmente, pois parece-me que está relacionado com aquilo a que chamamos habitualmente de remediar as coisas, não é tão seguro, pois a qualquer momento eles podem abrir novamente.
Por isso acho que é preferivel e mais seguro procurar um novo caminho, uma nova estrada que nos leve a um outro lugar. Muitas vezes seguimos determinado caminho convencidos que é o melhor mas, quantas e quantas vezes não necessitamos de fazermos alguns pequenos desvios de forma a encontarmos a melhor rota.
Obrigado pelo teu comentário
Beijocas
Namastê
:)))

Isa ;) disse...

Expliquei-me mal: "tapar" buracos no sentido de os deixar resolvidos e depois, aí sim, encontrar outro ou porque não, seguir pelo mesmo caminho...

carlluz disse...

;) ... pronto assim ja concordamos!... eheheheh eu sabia que iamos chegar a acordo!
Beijoca
Namastê

Isa ;) disse...

As always! :)

carlluz disse...

;))))
Ora nem mais!